quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

caracteres


pesam tabuladas as sílabas
descaidas sob as pálpebras
como água em goteiras de penas
e aos olhos já as palavras voam
num sentido tormentoso.
as velas do não querer recolhidas nas mãos cegas rasgaram-se aos ventos do ser.
ainda houve um lampejo insistente
de dor ao recondicionar as letras
com que se constroem montanhas.
ao fim de muito labor uma frase
escapou nas linhas com que se cosem guarda-chuvas tipográficos.
e do céu caíam nuvens esfarrapadas
na borrasca alva que a lua prometia
convite nunca chegado qual noiva na desistência do último altar.
e o chumbo refundia-se no vazio.

(aos tipografos do antigamente)

domingo, 29 de janeiro de 2017

as vozes

muralhas
até aos céus
erguidas
e sobre  a terra
e os mares
estendidas

onde chegarão as vozes?

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Inocência perdida



tivesse eu ainda o olhar duma criança 
na inocência dos dias, na pureza das noites 
sem a aquisição de conhecimentos 
e o acumular de angústias 
encontraria aí escondida em algum recanto 
a felicidade perdida pelo caminho.

.......

sábado, 19 de novembro de 2016

ditados

o talhante olha o cordeiro
e o cordeiro olha a faca.

lambe as mãos quem tem o pote de mel.
(ditados turcos)

não ponhas uma abelha no bolso,
ela acaba por te ferrar.
(desconhecido)


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

sem título


éramos jovens e o tempo esperava...
agora somos velhos para um mundo novo
e novos para um mundo velho.
lmc



quinta-feira, 1 de setembro de 2016

terça-feira, 23 de agosto de 2016

as promessas que fizeste a um deus desconhecido , não as fizeste a ti, que as terias ouvido.
lmc