quinta-feira, 15 de junho de 2017

as 'petingas' do arrependimento

ontém, num hipermercado, comprei sardinhas e escolhi das mais pequeninas.
as 'petingas' estavam à venda após a empresa responsável ter sido multada e, para eles não perderem tudo, fazendo algum dinheiro, lá foram elas p'ra banca do peixe, à vista de qualquer um.
este tipo de pesca, na legislação portuguesa, é punível.
só não fiquei a saber se o crime tinha compensado, mas que se venderam, venderam.
a empregada ainda me avisou do facto, mas eu ignorei-a.
a antecipação, na ideia de uma gustativa refeição, foi mais forte.
quando à mesa comecei a comer,
senti que tinha colaborado num crime.
um dia destes, quererei experimentar comer sardinhas de tamanho adulto e, não as terei.
mas foi bom come-las e mau por estar a antecipar o futuro.
agora tenho uma certa 'azia' por ser um predador igual ao mercantil empresário.
da empregada, ficou-me a consciência dela como lição.


1 comentário:

  1. A crónica do amigo Luís Castanheira tem a virtude para alertar para as virtudes de uma sociedade regida pelo mirífico mercado.
    Abraço.

    ResponderEliminar