quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

caracteres


pesam tabuladas as sílabas
descaidas sob as pálpebras
como água em goteiras de penas
e aos olhos já as palavras voam
num sentido tormentoso.
as velas do não querer recolhidas nas mãos cegas rasgaram-se aos ventos do ser.
ainda houve um lampejo insistente
de dor ao recondicionar as letras
com que se constroem montanhas.
ao fim de muito labor uma frase
escapou nas linhas com que se cosem guarda-chuvas tipográficos.
e do céu caíam nuvens esfarrapadas
na borrasca alva que a lua prometia
convite nunca chegado qual noiva na desistência do último altar.
e o chumbo refundia-se no vazio.

(aos tipografos do antigamente)

Sem comentários:

Enviar um comentário